Now Reading
Acreditas em vidas passadas?, isto é para ti.
9 min · 31

Acreditas em vidas passadas?, isto é para ti.

Experiências de morte com retorno ao corpo

A maioria das pessoas que viveram experiências de morte e voltaram ao seu corpo, contam uma história bastante parecida. Essa experiência, que é chamada de catalepsia, em termos médicos, produz-se que o corpo pare todas as funções vitais, ficando sem pulso ou respiração, zero atividades orgânicas ou cerebrais.

Uma vez que retornaram à vida física, depois de ficar totalmente desligados durante um tempo, que varia de alguns minutos até algumas horas, a atividade orgânica se restabeleceu completamente como se nada tivesse acontecido, sem que fiquem lesões cerebrais, apesar de tanto tempo sem receber oxigénio.

A experiência em outros planos

Aunque cada persona que experimenta ese estado ve su cuerpo desde lo alto del lugar en que se encontraba, ninguno se ha dado cuenta al principio de la experiencia, de que estaba atravesando por una vivencia de muerte. Todos afirman haber vivido una gran paz mental, acompañada por un bienestar admirable, afirman que la mente se detuvo aunque son capaces de recordar detalles insignificantes.

Luego indican que se vieron viajando a través de un túnel y que al final, se vislumbraba una luz indescriptible y una gran sensación de plenitud.

Um filme completo de sua vida que todos falam de ter visto

Quase todos relatam que se lhes apresentou um filme completo de sua vida, o que lhes revelou em sua consciência a grande quantidade de atitudes negativas que tiveram com os outros, através de ingratidão, desprezo, deslealdade, má intenção, agressividade, arrogância, aproveitamento, infidelidade, mentiras, apropriações, enganos e muitas outras, que acabaram ferindo pessoas próximas. O filme também mostra aquilo que fizeram bem, quanto amaram e quando estiveram conectados com o seu próprio poder, talentos e sentido da vida.

O filme que se projeta na dimensão da alma é extremamente importante pela informação que fornece, que, na maioria dos casos, se “vê” no ecrã tridimensional da consciência, com grande clareza e cores muito nítidas. Muitos informaram que a projeção do filme é feita por uma luz que emana de um ser muito bondadoso, que lhes mostra o certo, para que, quem estiver passando por essa experiência de morte, retifique (como então todos fazem) os comportamentos e as atitudes que prejudicam as pessoas de seu ambiente.

Quando retornam à vida cotidiana, sentem a necessidade de aproximar-se das pessoas com quem foram transgressores e lhes pedem perdão. Começam a agradecer tudo o que têm e, entre outras coisas, decidem que vão viver dia-a-dia com maior intensidade.

 

Outras revelações

O filme, em muitos casos, é revelador do propósito de vida da pessoa quem, ao retornar ao seu cotidiano, é capaz de começar uma nova carreira, modificar seus hábitos, mudar de relações, entre muitas outras possibilidades de mudança que a pessoa tenha pela frente.

Nas imagens, se expõe com grande clareza tudo “o deve e o haver”, que vai arrastar em suas memórias para a vida seguinte, com a finalidade de que a alma; portadora de uma sabedoria superior que reúne as inteligências mental, emocional e espiritual; compreenda onde e em que circunstâncias tem que tomar um novo corpo.

Com a informação, saberá qual é o espaço que lhe permita continuar com a sua evolução, escolher a família certa, representada por as almas com quem vem partilhando há muito tempo. Escolherá o tipo de raça, país, língua e economia que lhe ajude a acordar os seus talentos, desfrutar dos ganhos e pagar suas dívidas. Da mesma forma que quando compras um carro a crédito, ganhas a paz ao ir pagando as quotas. Para a alma, a paz é alcançada quando pode pagar o que tem pendente.

O deve e o haver que se nos apresenta se arrasta na memoria para a seguinte vida para que a alma portadora da sabedoria compreenda onde e como tomar um novo corpo.

Causa e efeito, a toda ação corresponde uma reação.

Quando um indivíduo tem feito muito dano aos seus semelhantes, seja por ter deixado a famílias inteiras em situação de indigência ou tiver agido com dolo, abusado dos outros, etc., e morre desfrutando de suas realizações mal adquiridos sem ter pago suas dívidas, ficamos com a sensação de que neste mundo não existe uma verdadeira justiça.

Os conceitos da física clássica sobre causa e efeito; uma lei que na realidade se manifesta em todos os planos: físico, mental, emocional e espiritual; indicam-nos que toda ação gera uma reação de igual intensidade e em sentido contrário à ação exercida,

Todo efeito tem uma causa anterior, pelo que toda dívida acaba de ser paga neste mundo. Se sofremos de alguma coisa, é que na verdade estamos pagando uma dívida que ficou do que fizemos anteriormente.

Por isso o filme do que experimenta a morte, que bem relatam tanto o Dr. Raymond Moddy em seu livro “Vida depois da Vida”, como o Dr. George Ritchie em sua obra autobiográfica “Voltar do amanhã”, tem fundamental importância para entender o conceito hindu de darma e karma. O darma é composto pelos talentos e virtudes que trazemos a este mundo e permite desenvolver todas as capacidades que se trazem das vidas passadas; enquanto que o karma está relacionado com o aparentemente negativo que temos gerado, que está pendente por pagar.

Talentos como o de Mozart, que se expressam naturalmente, não precisam passar por um processo de aprendizagem para ser postos em ação na perfeição. Mozart começou a tocar piano, outros teclados e violino com apenas 4 anos, e o fazia com perfeição, apoiado por seu pai, um músico bastante conhecido em Viena. Aos 5 anos, começou a compor música, a qual criava para presentear seu pai. De onde tirou tanta maestria?

A alma de Mozart escolheu onde encarnar, a fim de que o ambiente lhe permitisse desenvolver as habilidades que trazia de vidas anteriores, ao mesmo tempo em que lhe permitisse pagar as suas dívidas, ao viver muito passional e dramaticamente sua curta existência de 36 anos.

Pagar dívidas é o que te dá a verdadeira paz

Um ponto importante na minha vida se deu quando nasceu o Horácio, o quarto irmão da família. Ele passou por complicações e atrasos no parto, asfixiado, seu cérebro não recebeu oxigénio suficiente, por isso, que alguns meses mais tarde, foi evidente uma paralisia cerebral que o tem em cadeira de rodas há mais de sessenta anos. Esse episódio mudou a vida da família e comecei a me perguntar: “se era justo que isso acontecesse a alguém de tão bom coração como o meu irmão”.

Nesse momento, não encontrei respostas nem tirei conclusões, me pareceu muito triste que o Horácio não ia poder jogar futebol, ou comparecer em todos os jogos que desfrutávamos, onde corríamos, saltávamos, subiríamos para as árvores, desarrolhávamos habilidades. Hoje em dia, eu entendi que não houve erro médico, senão, que a alma do Horácio escolheu pagar suas dívidas. Sua inclinação era viver em sua própria pele algo que não sabemos, que foi criado por ele mesmo em vidas passadas. Caso contrário, a injustiça estaria imperando neste mundo e teríamos que desistir do conceito de Deus.

A mente adquire conhecimentos, a alma tem a sabedoria.

Platão, quando descreve o último dia da vida de Sócrates, no livro de Fedón, diz que Sócrates, injustamente condenado à morte, disse na prisão antes de beber a cicuta “na vida não aprendi nada, tudo que eu fiz foi ter reminiscências, lembrar o que minha alma havia esquecido, como consequência do trauma que é para a alma, estar encerrada dentro do ventre de minha mãe. Antes de nascer, a minha alma era sabedoria e penetrou na ignorância deste mundo, era paz e entrou nas lutas pela sobrevivência, era liberdade e penetrou na escravidão do corpo… agora eu estou feliz porque eu vou reencontrar-me com toda essa sabedoria que eu não terminei de ligar durante esta vida”.

Se a alma é a sabedoria, desde antes de nascer, será fácil para ela, encontrar onde e como tem de tomar um corpo. A alma escolhe com total e absoluta objetividade o que lhe toca viver.

O conceito de vidas passadas contava com grande vigor na antiguidade.

Os dois primeiros séculos do cristianismo foram dirigidos pelos gnósticos, para quem o tema das vidas passadas era muito comum. A reencarnação se encontrou presente entre os cristãos até os concílios de Nicéia e Constantinopla durante os séculos IV e VI d.C., quando foi abolida por decreto, pelos interesses de todos os imperadores romanos Constantino e Justiniano, quem impunham seus critérios no cristianismo através do medo.

Consideraram que ter consciência de outras vidas dava muita liberdade e a oportunidade de obter maior independência do clero. Então, a nascente hierarquia manipulada pelos imperadores decretou através do dogma, que havia uma única vida e que é nesta vida em que se tem que fazer o trabalho para chegar ao divino.

Esses primeiros concílios do cristianismo nos fizeram perder o fio que nos mantém inexoravelmente unidos com as vidas passadas.

Ao desligar-nos do que temos vivido em outras vidas e de que todo efeito sofrido agora, é consequência de uma causa anterior semeada por nós mesmos. Perdemos o sentido de responsabilidade do que nos acontece e entramos no papel de vítimas do que nos ocorre. Os concílios nos mergulharam em séculos de confusão, onde ainda permanece boa parte da humanidade.

Ao sair à luz os escândalos de abuso sexual e a escura manipulação de grandes somas de dinheiro que produzem a maioria das religiões e seitas de todo tipo, os dogmas pouco a pouco, estão perdendo poder e cada vez mais gente está se separando das religiões. Muitas pessoas com inclinação espiritual acabam procurando sua realização através de caminhos livres de dogmas religiosos.

A informação sobreviveu escondida na Bíblia o tempo todo.

Os livros sagrados da maioria das tradições espirituais têm falado há milénios, do conceito de reencarnação da alma voltando a um novo corpo. A reencarnação como conceito existe entre os budistas, hinduístas, cristãos, drusos do Líbano e a Síria, taoistas, cabalistas e entre quase todas as culturas originárias da América, África e Oceânia.

Entre o Antigo e o Novo Testamento, encontramos as histórias que se entrelaçam e acabam se manifestando, muito claramente, que João Batista é a reencarnação do Profeta Elias. Em Lucas, capítulo 1, versículo 17, quando o anjo lhe anuncia a Zacarias que sua mulher vai dar à luz um filho, ao que chamarão pelo nome de João, enumera muitas das qualidades que vai ter, e anuncia que “caminhará diante do Senhor no Espírito e Poder de Elias“.

See Also

Em seguida, em Mateus, capítulo 17, versículos 12-13, depois do episódio da Transfiguração, Jesus anuncia “Elias já veio e não o reconheceram, antes fizeram com ele tudo o que quiseram da mesma forma o Filho do homem tem que sofrer de parte deles. Então, os discípulos entenderam que lhes falava de João Batista”.

Em outro parágrafo, falando de João Batista declara: “E se quereis ouvi-lo, ele mesmo é Elias, que há de vir. O que tem ouvidos para ouvir, que ouça” (Mateus 11, v. 14-15).

Se relacionarmos a atitude redigida no primeiro livro dos Reis, capítulo 18, versículo 40, no que Elias se embravece com 400 Sacerdotes do deus pagão Baal e os degola um a um, nas margens do ribeiro Quisom, com o relato escrito no evangelho de Mateus capítulo 14, versículo de 1 a 12, quando relata que João Batista, um Santo homem de Deus anunciado por um anjo, é injustamente decapitado por capricho de uma mulher; temos a história mais completa quando um karma de uma vida passa e de maneira automática, paga-se na outra.

Não importa o grau de iluminação que tenha a pessoa, tem que pagar suas dívidas, como qualquer outro ser humano.

 

A reencarnação para compreender o que podemos sarar e transcender

Agora é o momento de acordar para o facto de que todo efeito que sofres tem sua causa em algo que fizestes e viveste nesta vida ou noutra anterior. Somente, assumindo a total responsabilidade de que o que te acontece é o produto de suas ações passadas, é que poderás aceder à liberação das causas.

Se tu foste déspota atrairás e serás vítima dos déspotas, se maltrataste o teu(ua) companheiro(a), atrairás um(a) companheiro(a) maltratante. Se tu foste insensível com os outros, tu não receberás contemplação. Se tu desterraste uma fortuna, tens que enfrentar a carência até que aprendas a valorizar o que a vida te dá. Se deste amor, atrairás o amor de tua vida.

Chegamos à época em que é muito importante se reencontrar com o conceito de reencarnação, porque se aproximam novos tempos na evolução mental e espiritual do homem, que só podem ser compreendidos em profundidade quando contemplamos as memórias inconscientes que arrastamos de outras vidas e que temos vindo a desenvolver ou curar neste agora.

A reencarnação te abre às portas para compreender o que deves deixar para trás. Diz-te que tu és responsável por sarar tua vida, de limpá-la totalmente de tudo o que criaste, embora fosse sem querer. Leva-te a compreender que a forma em que funciona a Lei da Atração é consequência do que tens que desenvolver ou curar em tua vida.

 

A consciência da reencarnação te conduzirá a atuar corretamente sabendo de que todo o que faças longe de teu ser se pagará em algum momento. Decidirás não fazer ao outro o que não gostas que te façam a ti. Roberto

Roberto

A tua alma escolheu a teus pais, irmãos, família, amigos e colegas para pagar o que tem pendente, ou desfrutar e amar o semeado com cada pessoa.

Para curar o passado tens de pedir perdão, por ter criado aquelas coisas que não gostas e que existem em tua vida, cada vez que tu estiveste separado de teu verdadeiro ser, tua alma eterna, essa partícula imaterial que habita em teu coração, que é capaz de fazer maravilhas quando te conectas adequadamente com ele.

 Roberto Ferreiro

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Copyright © Todos los Derechos Reservados

Aviso Legal - Política de privacidad - Política de cookies

Scroll To Top