Now Reading
Investir em obrigações: 5 chaves para obter rendimentos.
4 min · 69

Investir em obrigações: 5 chaves para obter rendimentos.

1. Independentemente do prazo da obrigação, se pode vender a qualquer momento

As obrigações são emitidas a um prazo e a partir desse momento, começam a ser negociadas em um mercado, uma bolsa ou um mercado fora da bolsa. O certo é que elas têm um preço de compra e um preço de venda, ao contrário das ações que só têm um preço. É importante que perguntes onde está negociada essa obrigação, assim saberás que, se em algum momento quiseres vender, existe um preço para que possas fazê-lo. Simples.

O emissor da obrigação é conhecido como “devedor”, enquanto que o valor nominal da obrigação corresponde à quantidade que possuis em tuas mãos. O único preço fixo da obrigação é o do vencimento que o emissor vai comprá-la ao 100% do valor nominal, exemplo: 10.000; 100.000; 1.000.000. Essa condição de que possas vender a qualquer momento, já constitui um fator positivo sobre qualquer produto bancário que não tenha esse benefício.

2. O rendimento da obrigação vem em duas formas: juros fixos e lucro de capital, escolhe por qual delas queres investir.

Tu és um investidor rentista (juros), isto é, tu compraste-a para ficar com ela até o vencimento, então, quando vaias negociar tens de perguntar quanto é o rendimento ao vencimento YTM. Isto é a taxa de juros que vai ganhar a obrigação anualmente, independentemente da quantidade de vezes que pague juros durante o ano.

Pelo contrário, se tu és um investidor especulador (lucro de capital), quer dizer, que não negociaste a obrigação até o seu vencimento. Procuras maior retorno ao acumular os juros correntes de cada pagamento e a possibilidade de vender a obrigação, a qualquer momento, a um preço maior.

Quando tu vendes com perda de capital, basta subtrair o valor dos juros recebidos para saber qual foi o retorno de teu investimento. Se tiveres um financiamento para comprar uma maior quantidade de obrigações, procura fazê-lo a uma taxa de juros que seja inferior ao rendimento corrente da obrigação. Isto acrescentará ao teu retorno, caso contrário, teu rendimento corrente ficaria diminuído.

3. O risco de uma obrigação está relacionado ao seu retorno, a maior risco, maior retorno e vice-versa.

Todos aquelas obrigações sob-regulamentação de mercados de capitais têm que ser emitidas com classificações de risco por empresas especializadas. Por isso, sempre que quiseres comprar uma obrigação, deves perguntar qual é a sua classificação de risco. Existem dois grandes grupos: com grau de investimento e sem grau de investimento (lixo). De acordo com o risco que implique comprar a obrigação, será o seu rendimento no vencimento YTM.

4. Se não quiseres estar atento da obrigação, então, investe em fundos mútuos que invistam em obrigações.

Se estiveres disposto a pagar por experiência na gestão de obrigações, então, pesquisa quais são os melhores administradores de fundos mútuos de renda fixa. Avalia em que investem, qual é o tipo de risco que assumem. Observa a liquidez do fundo (falarei disto em outro artigo especial de fundos mútuos) e à disponibilidade que tu tens para vender a tua participação. Existem fundos mútuos para todos os tamanhos de investidores.

5. Os bancos são os principais compradores de obrigações, então, por que não investir em obrigações?

É simples, lê o balanço do banco onde está a tua conta bancária, verifica o seu estado financeiro publicado em seu site. Avalia que títulos de valores têm em sua carteira de investimentos e tu vais perceber quanto dinheiro eles têm em obrigações. As razões estão nos itens 1, 2, 3 do presente artigo.

Compreendes agora por que é que o banco onde tens a tuas poupanças não te convida para comprar obrigações?, porque eles investem parte do teu dinheiro para comprar obrigações, então, voltamos ao início do artigo:

See Also

  1. O banco as pode vender a qualquer momento,
  2. Podem obter lucros de capital adicional ao juro corrente que paga a obrigação,
  3. E finalmente, eles investem em função do risco que querem assumir.

Se tu quiseres informação básica, vais encontrá-la num artigo que titulei “eu amo as obrigações” neste blog. Aí, falei-lhes sobre o que é uma obrigação, quais eram os principais riscos associados e os conceitos envolvidos. Finalmente, hoje, eu te apresentei a maneira para investir nas obrigações.

Assim que começa a investir como os grandes, vai ao teu banco e diz-lhe que queres investir em obrigações, para que eles te falem de suas opções. Pergunta pela disponibilidade de fundos mútuos que investem em obrigações e com toda a confiança, escreve-me as tuas experiências e, te irei orientando.

Eu insisto… eu amo as obrigações.

Sugestão de encerramento: Com o C de Certeza e de Café Bursátil, te convido a comentar ou colocar qualquer dúvida que tenhas, e pessoalmente, responder-te-ei. Se pensaste em um amigo, por favor, partilha este artigo com ele, pois, lhe pode gerar valor.

YOInvierto é o princípio do bem-estar investindo…

Santi Fernández.

View Comments (0)

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Copyright © Todos los Derechos Reservados

Aviso Legal - Política de privacidad - Política de cookies

Scroll To Top